O Pedido

É engraçado como que sempre perguntam como foi o pedido! Sério, eu me espantei com isso, e ainda me espanto quando as pessoas perguntam.. Mas eu acho legal, é interessante perceber como muitos ainda curtem e valorizam o romantismo e as tradições! :-)

Bem, o “pedido” teve um fato engraçado: O Mauricio reclama até hoje porque eu não chorei!! Eu acho que não chorei porque já tínhamos falado tanto sobre isso e eu já estava esperando que seria naquela época, então diminuiu o efeito surpresa. Mas o principal, e que muitos não sabem, é que – pra mim – o verdadeiro pedido de casamento já tinha acontecido há muito tempo! Bom, eu e o Mau estamos namorando desde o primeiro beijo, isso é fato. Inclusive, é essa a data de aniversário do nosso namoro, mas teve um pedido oficial e muito romântico! Nós estávamos sentados em um banco de uma pracinha em Itu (onde ele morava na época e onde nós moramos atualmente – depois de ele mudar de cidade 3 vezes), em um dia muito gostoso de passeios e paparicos, e ele fala assim: “Então, quando vc vai me pedir em namoro?” Claro que eu respondi que não faria isso, pois quem tinha que pedir era ele!! E ele responde: “Mas, se eu te pedir em namoro, não vou poder pedir em casamento! Temos que alternar, então me pede em namoro você!” Estou errada em achar que o pedido oficial foi esse??? ♥

Bom, mas vamos ao (segundo) pedido, hehehe: Em agosto, nós decidimos que iríamos ficar noivos, marcar a data do casamento e morar juntos. A decisão de morar juntos foi porque morávamos em cidades diferentes, nos víamos pouco e morríamos de saudade um do outro. Em julho, o Mauricio foi transferido pra uma cidade um pouco mais perto de São Paulo. Eu continuaria com minhas obrigações profissionais em São Paulo, mas moraria com ele em Itu, engrossando a fatia da população que pega fretado todos os dias (e viva o amor!). Com isso, escolhemos um apartamento que fosse confortável o suficiente, mas barato o suficiente pra que pudéssemos investir em uma festa de casamento. Levamos pra lá objetos pessoais, mas a mudança só iria no início de setembro, devido a algumas questões burocráticas. Por conta disso, eu continuei morando em São Paulo, até o fim de agosto.

Era uma sexta-feira, em que viajaríamos pra Niterói, pois eu seria madrinha de casamento da Priscila e do Thiago (nossos dindos agora também), no dia seguinte. Passei a manhã em São Paulo fazendo gráficos que o meu orientador pediu de última hora, e parti pra Itu pra encontrar o Mauricio, pois nosso voo saía de Viracopos. Cheguei lá suuuuper em cima da hora (não tanto assim, mas o Mauricio é excessivamente pontual!) e corremos ao apartamento (vazio), pra trocar de mala, pois a minha estava muito pequena. ~ Pausa pra contar que o Mauricio tinha criado toda uma história de que me pediria em casamento no Pão de Açúcar, pois foi onde demos o primeiro beijo. Depois, ele disse que inventou isso só pra despistar, e eu até hoje não sei dizer se acredito ou não! rs ~ Quando chegamos ao apartamento, ele me segurou 10 minutos do lado de fora, com a chave na fechadura, perguntando se o casamento da Pri e do Thiago estava me inspirando, se eu conseguia me imaginar no lugar deles, se eu tinha certeza de que queria ficar com ele pra sempre… E eu já imaginando tudo, né!! Depois ele pergunta por que eu não chorei! rs! Bem, depois disso tudo, quando ele decidiu abrir a porta, estava lá um lindo bouquet de rosas vermelhas (as primeiras flores que ele me deu!), junto com a caixinha das alianças que nós tínhamos escolhido meses atrás!

Então, ele perguntou se eu queria casar com ele e ficar com ele pra sempre e tudo mais e eu respondi que sim, afinal, é tudo o que eu mais quero! E ele explicou que, como aquele era o lugar em que iríamos, de fato, começar a vida juntos, ele achava que era o lugar ideal pra fazer o pedido. Eu sempre digo que eu sou boa pra escrever, mas o Mau é tão bom pra falar! Ele fala coisas lindas e espontâneas q eu nunca conseguiria dizer. E é sempre preocupado com os significados. Então… foi isso! Noivos! Cinco segundos depois, ele começou a me apressar, dizendo que estávamos “atrasadíssimos”, que iríamos perder o voo, que o mundo ia acabar… e nós saímos correndo (e depois ele reclama que eu não chorei, mas foi muita pressão, gente!). E chegamos TÃO, mas TÃO atrasados, que conseguimos pegar o voo anterior ao nosso! Esse é o meu noivo… :p

Com tanta pressa, a foto só foi rolar no avião!

Anúncios